domingo, 28 de novembro de 2010

Texto: AVALIAÇÃO PROCESSUAL DA INTERVENÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS
UAB – FACULDADE DE ARTES VISUAIS
DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO III
TUTORA:
Acadêmica: Simone Maria de Oliveira













Texto:
AVALIAÇÃO PROCESSUAL DA INTERVENÇÃO













Goiânia, 4 de dezembro de 2010.

Avaliação Processual (Estágio Supervisionado 3): Texto avaliativo do processo tendo por critério o texto "Considerações Finais" disponível na página 79 da disciplina Estágio Supervisionado 3. As respostas das questões deverão indicar reflexões sobre o processo vivenciado, descrevendo como foi cada etapa:

• Percurso "estranhamento do familiar"
• Escolha da porta de entrada
• Etnografia da porta de entrada
• Elaboração da proposta de intervenção
• Discussão nos fóruns da proposta com orientações com formadores e tutores
• Realização da proposta (aplicação)
• Avaliação dos resultados (esta que você está fazendo).

Nas Disciplinas de Estágio Supervisionado III e interdisciplinar com Ateliê Integrados, a atividade a ser desenvolvida, uma intervenção. Na cidade, em nosso percurso, no nosso cotidiano, buscar um “estranhamento”, ou seja, buscar o estranhamento no familiar. E dessa forma escolher uma porta de entrada.
Quando foi anunciado que iríamos fazer estágio num espaço informal, fiquei apreensiva, surgiram muitas indagações, dúvidas. Como seria? De que forma? Com quem? Em que local?
Tínhamos inumeras possibilidades. Comecei a pesquisar, onde poderia fazer o estágio. O que poderia fazer, que atividade desenvolver, de que forma.
Escolhi um ateliê de pintura, que faz parte do meu trajeto diário. Esta Professora desenvolve cursos livres de pintura a óleo, e acrilico, na garagem da casa de sua mãe, próximo a Praça do Sol. A Professora é Assistente Social, formada pela UCG. Não exerce a função, mas ministra aulas em Colégio Estadual e cursos livres na sua casa e neste local que visitei. Sua formação em arte foi também através de cursos livres na sua adolescencia.
Os cursos ministrados por essa Professora são frequentados por pessoas que buscam uma terapia, como uma aluna, a Cleo que está em tratamento de câncer, quimioterapia e passa as tardes pintando. Outra aluna possui sindrome de down e a pintura pra ela é uma forma de se expressar. A Maria que possui uma “vida muito corrida” e busca na pintura uma forma de relaxar, desligar de suas obrigações diárias.
A arte é vista como um recurso artístico com a finalidade terapeutica, de expressão das emoções e do estímulo da criatividade. Acredita-se que a atividade artística tem a função de cura, de alívio. É o uso de práticas artísticas com o objetivo de organizar a vida psíquica, os sentimentos, pensamentos e seus atos, privilegiando o fazer artístico em qualquer um de seus componentes: criatividade, atividade ocupacional, manuseios dos materiais, expressão emocional, senso estético e etc.
A Arte terapia é uma área do conhecimento humano que usa a arte como meio de expressão para os processos de transformação da pessoa. Resgata o potencial criativo do homem, buscando a psique saudável e estimulando a autonomia e transformação interna, para reestruturação do ser. É uma atividade que enriquece a vida das pessoas, em que o fazer Artístico é reconhecido como possibilidade terapêutica, condutor de novas aprendizagens e desenvolvimento do potencial criativo.
Inicialmente desenvolvi o Projeto de intervenção com o objetivo de visitar um ateliê de pintura, levando cinco adolescentes para conhecer esse espaço e em seguida desenvolver uma atividade artistica. Na qual teriam como base, o pintor norte americano Basquiat, desenvolver o “Livro do Artista”, fazendo uma reflexão sobre função do artista, o que viram, as informações que receberam e o que entenderam de tudo isso. Ou se preferissem poderiam fazer uma reflexão sobre a nossa cidade, uma vez que Basquiat , inicialmente era um artista de rua, desenvolvia atividade de grafitti, nos muros de New York. Esses adolescentes são alunos da escola em que trabalho.
Escolhi Basquiat por ser um artista contemporaneo, que fazia trabalhos em grafittis nas ruas de New York, com uma linguagem chamada de "primitivismo intelectualizado", uma tendência neo-expressionista, retratava personagens esqueléticos, rostos apavorados, rostos mascarados, carros, edifícios, policiais, ícones negros da música e do boxe, cenas da vida urbana, além de colagens, junto a pinceladas nervosas, rabiscos, escritas indecifráveis, sempre em cores fortes e em telas grandes. Quase sempre o elemento negro estava sendo retratado, em meio ao caos. Há também uma dessacralização de ícones da história da arte, como a sua Mona Lisa (acrílico e óleo sobre tela).
A arte contemporânea é arte produzida na atualidade, é aquela que traz influencias e características da nossa época. São os artistas que tem como desafio estar se atualizando, com individualizações, imagens instantâneas.
E a pintura auxilia o artista em sua criação, como forma de expressão, da realidade, de desejos, interpretações, de vazios, de silêncios, de revelações. O uso das cores, da perspectiva, da sombra, da luz, representação convencional ou simbólica, o conteúdo semântico, simbólico, na criação e na produção de sentimentos estéticos ao apreciador da obra. É através da imaginação que o artista refina e articula seus sentimentos. E é também através da imaginação que o apreciador da pintura interpreta e compreende os sentimentos expressos na pintura. O artista sente, age e cria arte.
Para Susanne Langer, a função essencialmente pedagógica da arte é a de educação do sentimento:

“A maioria das pessoas anda tão imbuida da idéia de que o sentimento é uma amorfa excitação, totalmente orgânica, em homens como em animais, que a idéia de educar o sentimento, de desenvolver-lhe o raio de ação e a qualidade, se lhes afigura fantástica, se não absurda.
De minha parte creio que constitui realmente o próprio cerne da educação pessoal.” (pág. 90)

Apresentei o Projeto no presencial para ser analisado e a Professora Rogéria orientou a fazer algumas alterações. Primeiro que o “Livro do Artista” é algo muito exigente. E não é o caso, deveriam fazer a atividade por prazer, sem muitas exigencias de perfeição.
Para realizar a intervenção, busquei autorização dos pais para a visita, obtive algumas negativas, dessa forma optei por registrar em fotografias o ambiente do ateliê, discutir com os adolescentes a função do ateliê, por que as pessoas buscam essa formação.
Quanto a questão da avaliação é uma atividade necessária e permanente no trabalho do Professor. É através da avaliação que ele acompanha o processo ensino aprendizagem do aluno.
A avaliação com a finalidade de diagnósticar as dificuldades e os avanços do aluno, auxilia o Professor a atingir os objetivos desejados. Além da necessidade do Professor se auto avaliar, sobre seu próprio trabalho, seus procedimentos, se necessário reformulando sua prática.
No processo educativo, a avaliação esta ligada a concepção de sociedade, de mundo e de homem. No contexto escolar, que sujeitos queremos formar? que modelo de ensino queremos? Está vinculada as decisões metodológicas e a prática pedagógica.
Quanto a este texto e a avaliação processual, os resultados foram positivos, podemos perceber através da produção, dos desenhos, dos relatos, questionamentos. E a importancia da pintura como terapia, como forma de expressão da criatividade, da imaginação e dos sentimentos humanos. A ação motivou pelo conhecimento e experiencia adquirida, tirando a idéia de que a pintura é apenas para alguns privilegiados, que exige conhecimentos elaborados para executar uma pintura, mas que todos nós podemos desenvolver esta atividade. É uma forma de expresssão pessoal.
E quanto aos resultados, acredito que foram alcansados, pois levantou questionamentos, críticas e possibilidades de novos estudos sobre o tema em questão.









Bibliografia

Adamuz, Regina Célia. Avaliação educacional: uma reflexão.
Disponível em:
Acessado em : 21 nov. 2010.
Antón, José Emilio. El libro del artista. Madrid, 1995. Disponível em:
. Acesso em 06 nov.10.
Universidade Federal de Goiás. Faculdade de Artes Visuais. Licenciatura
em Artes Visuais. FUNAPE/2010. Apostila. Módulo7. Disciplinas: Estágio Supervisionado 3, págs. 74 a 77; Ateliê de Poéticas Visuais Contemporâneas, pág. 109; Ateliê de Arte e Tecnologia II - Diálogos Intermidiáticos, unidade 3.

Basquiat: vida e obra. Disponível em:
. Acesso em 06 nov.10.

DICIONÁRIO DE GRAFFITI E ARTE URBANA. Disponível em:
. Acesso em 06 nov.10.

História da pintura. Disponível em:
Acesso em: Acesso em 06 nov.10.

Jean-Michel Basquiat. Disponível em:
. Acesso em 06 nov.10.

Jean-Michel Basquiat. Disponível em:
. Acesso em 06 nov.10.

Jean-Michel Basquiat. Disponível em:
. Acesso em 06 nov.10.

Jean-Michel Basquiat. Disponível em:
. Acesso em 06 nov.10.

JEAN-MICHEL BASQUIAT–UM ARTISTA, UMA LENDA.Disponível
em: . Acesso em 06 nov.10.

Livro de artista. Disponível em:
. Acesso em 06 nov.10.

Paris recebe 150 obras do artista pop Jean-Michel Basquiat (1960-1988).
Disponível em: . Acesso em 06 nov.10.

50 anos de nascimento de Jean-Michel Basquiat. Disponível em:
. Acesso em 06 nov.10.

S. K. Langer, "A importância cultural da arte", em Ensaios
Filosóficos (trad. Cultrix: São Paulo 1971).

Nenhum comentário:

Postar um comentário